Envelhecer bem é possível

O envelhecimento é um processo natural para todos, mas é preciso acompanhá-lo com atenção e respeito. No que diz respeito à saúde, o profissional responsável por esse acompanhamento é o geriatra. A dra. Thaís Barreto Teixeira, geriatra da Anjos do Lar, esteve no jornal A Voz do Povo, da Rádio Conexão FM, onde falou sobre os cuidados que devemos ter com nossos pais, avós e consigo mesmos, para garantir uma vida mais saudável e longínqua.

De acordo com a médica, o ideal é começar o acompanhamento com um geriatra aos 60 anos, mas muitos pacientes começam aos 35, 40 ou 50 para atuar de forma preventiva. Mas independentemente da idade, cada indivíduo tem suas particularidades, por isso é fundamental conhecer o histórico de cada um para ter um diagnóstico assertivo, motivo pelo qual é preciso procurar um profissional sempre que surgirem alguns sintomas. Saiba quais são eles:

Porque preciso de um geriatra:

  • Já tenho 60 anos ou mais;
  • Sinto muita sonolência durante o dia;
  • Tenho insônia;
  • Percebi perda de apetite;
  • Estou meio apático ou sem disposição;
  • Às vezes sinto um pouco de desorientação espacial;
  • Sintomas de perda de memória ou capacidade de concentração;
  • Tomo muitos medicamentos;
  • Fico triste com frequência;
  • Os problemas familiares me afetam muito.

Problemas comuns nos idosos que exigem cuidado:

  • Desnutrição;
  • Depressão, hipersensibilidade;
  • Solidão;
  • Desidratação;
  • Anemia e falta de algumas vitaminas;
  • Fraturas, artrites e artroses;
  • Déficit cognitivo;
  • Síndromes demenciais;
  • Metabolismo lento;
  • Distúrbios do sono.

A dra. Thaís explica que muitos sintomas são comuns da idade, mas devem ser monitorados e tratados para que sejam minimizados, garantindo mais qualidade de vida ao idoso e evitando doenças. “Quando envelhecemos, nosso corpo fica mais lento, por dentro e por fora. Nossos órgãos funcionam em outro ritmo, por isso redobra a atenção”, explica.

Ela reforça que nestes casos é preciso trabalhar a prevenção, o que começa por procurar um médico. Para esta primeira consulta, a doutora passa algumas recomendações:

  • Ter um familiar presente para acompanhar o tratamento;
  • Levar os exames mais recentes;
  • Levar a Carteirinha de Vacinação do Idoso;
  • Levar os medicamentos que está administrando;

Algumas recomendações importantes:

  • Tomar muito cuidado com a polifarmácia – interações medicamentosas (quando tomamos mais de 5 remédios diferentes). Às vezes dá para otimizar e reduzir o número de medicamentos administrados;
  • Organizar bem os horários com tabelinhas ou caixinhas, para não se perder na administração;
  • Reduzir a soneca da tarde. Idosos dormem menos, mas precisam ter sono restaurador à noite;
  • Cuidar com os medicamentos para dormir que causam dependência, como Rivotril. Se você toma, precisa desmamar gradativamente, não pare sozinho, mas procure saber se não pode substituir por algum menos agressivo. O Índice de quedas e fraturas é alto em quem toma estes medicamentos;
  • Dormir demais pode ser depressão. Procure orientação, pode ser necessário um acompanhamento psicológico, psiquiátrico ou clínico;
  • Aceitar a idade, com suas dificuldades, é fundamental para ter qualidade de vida;
  • A convivência com a família é importante. Entre em equilíbrio na relação com eles;
  • Praticar exercícios é fundamental, evita fraturas e artroses, mas exige orientação. É preciso verificar a estrutura do corpo, a massa muscular, para ver o que ele comporta;
  • Comer direito e com as vitaminas certas é muito importante;
  • Idosos que se cuidam têm sono melhor, são mais felizes e dispostos.

Mande sugestões e nos acompanhe!

Mande suas perguntas ou sugestões de pauta para nós pelo email assessoria@anjosdolar.com.br ou pelo whatsapp 99758-0385 ! Podemos incluir sua dúvida em uma próxima participação no jornal A Voz do Povo. O programa vai ao ar todos os dias, das 7h às 9h, sob o comando da dupla PC e Peeter Lee Grando. A Anjos do Lar faz uma participação especial para falar sobre saúde nas terças-feiras, às 8h. Acompanhe a gente e participe!

Confita aqui a entrevista na íntegra