Diabetes

O círculo azul é o logo oficial do Diabetes.

O que é?

O Diabetes mellitus, ou simplesmente diabetes, é um grupo de doenças metabólicas  cuja principal característica é o aumento de açúcar no sangue. Ela altera o metabolismo do açúcar, da gordura e da proteínas.

O pâncreas é o órgão responsável pela produção do hormônio denominado insulina. Este hormônio é responsável pela regulação da glicemia(nível de glicose no sangue).

Para que as células das diversas partes do corpo humano possam realizar o processo de respiração aeróbica (utilizar glicose como fonte de energia), é necessário que a glicose esteja presente na célula. Portanto, as células possuem receptores de insulina (tirosina quínase) que, quando acionados “abrem” a membrana celular para a entrada da glicose presente na circulação sanguínea. Uma falha na produção de insulina resulta em altos níveis de glicose no sangue, já que esta última não é devidamente dirigida ao interior das células.

Existem tipos de Diabetes, São eles:

 

  • A diabetes tipo 1 resulta da produção de quantidade insuficiente de insulina pelo pâncreas. Este tipo era anteriormente denominado “diabetes insulino-dependente”.Esses pacientes necessitam de aplicação de insulina diariamente. As causas são desconhecidas.

 

  • A diabetes  tipo 2 tem origem na resistência à insulina, uma condição em que as células do corpo não respondem à insulina de forma adequada. À medida que a doença avança, pode também desenvolver-se insuficiência na produção de insulina. Este tipo era anteriormente denominado “diabetes não insulino-dependente”. A principal causa é peso excessivo e falta de exercício físico.

 

Tem  ainda a Diabetes na gestação, que  é a condição em que uma mulher sem diabetes apresenta níveis elevados de glicose no sangue durante a gravidez.

 

Sintomas:

Os sintomas da elevada quantidade de glicose incluem necessidade frequente de urinar e aumento da sede(polidipsia) e da fome(polifagia).

Outros sintomas importantes incluem:

  • perda de peso.
  • visão turva.
  • cetoacidose diabética.
  • síndrome hiperosmolar hiperglicêmica não cetótica.

 

Prevenção e tratamento:

Tanto a prevenção como o tratamento da diabetes consistem em manter uma dieta saudável, praticar regularmente exercício físico, manter um peso normal e abster-se de fumar.

Em pessoas com a doença, é importante controlar a pressão arterial e manter a higiene dos pés.

A diabetes do tipo 1 deve ser tratada com injeções regulares de insulina.

A diabetes do tipo 2 pode ser tratada com medicamentos por via oral como metformina e glibenclamida, com ou sem insulina.

Em pessoas obesas com diabetes do tipo 2, a cirurgia de redução do estômago pode ser uma medida eficaz.

A diabetes gestacional geralmente resolve-se por si própria após o nascimento do bebé. No entanto, se não for tratada durante a gravidez pode ser a causa de várias complicações para a mãe e para o bebê.

 

Complicações Causadas por diabetes:

A diabetes afeta todo o organismo. Quando a glicemia (açúcar no sangue) se mantém elevada durante muito tempo, pode aumentar o risco de complicações crônicas associadas com a diabetes.

Estas complicações incluem:

  • Doença cardíaca e enfarte
  • Lesões renais
  • Lesões oculares
  • Lesões neurológicas
  • Problemas nos pés
  • Doença do foro dentário
  • Disfunção sexual

 

Estima-se que em 2015 cerca de 415 milhões de pessoas em todo o mundo tivessem diabetes. Cerca de 90% dos casos eram diabetes do tipo 2, o que corresponde a 8,3% da população adulta.

A doença afeta em igual proporção mulheres e homens. A diabetes aumenta pelo menos duas vezes o risco de morte prematura. Entre 2012 e 2015, a diabetes foi a causa de entre 1,5 e 5 milhões de mortes anuais.

Complicações agudas:

  • Cetoacidose diabética
  • Cegueira
  • Coma hiperosmolar não cetótico (cerca de 14% dos casos)
  • Hiperglicemia
  • Coma diabético
  • Amputação
  • Miíase

Complicações crônicas:

  • Placas de gordura no sangue (Aterosclerose).
  • Danos na retina (Retinopatia diabética).
  • Hipertensão (por aumento de H2O no sangue, além da glicosilação irregular do colágeno e proteínas das paredes endoteliais o que pode causar tromboses e coágulos por todo o sistema circulatório).
  • Tromboses e coágulos na corrente sanguínea.
  • Problemas dermatológicos (por desnaturação de proteínas endoteliais).
  • Síndrome do pé diabético.
  • Problemas renais como insuficiência renal progressiva (atinge 50% dos pacientes com DM tipo 1).
  • Problemas neurológicos, principalmente no pé, como perda de sensibilidade e propriocepção.
  • Problemas metabólicos generalizados.
  • Fator de risco à periodontite.

Fatores de risco:

Os principais fatores de risco para o diabetes mellitus são:

  • Idade acima de 45 anos.
  • Obesidade.
  • História familiar de diabetes em parentes de 1° grau.
  • Diabetes gestacional ou macrossomia prévia.
  • Hipertensão arterial sistêmica.
  • Colesterol HDL abaixo de 35 mg/dl e/ou triglicerídeos acima de 250 mg/dl.
  • Alterações prévias da regulação da glicose.

Marque sua consulta e mantenha sua saúde em dia!